Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios. Si continúa navegando, consideramos que acepta su uso. Puede obtener más información en nuestra política de cookies

ENSINAR O QUÊ? PARA QUEM? COMO USEI OS TEMAS GERADORES DE PAULO FREIRE PARA PROMOVER A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA

ENSINAR O QUÊ? PARA QUEM? COMO USEI OS TEMAS GERADORES DE PAULO FREIRE PARA PROMOVER A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA
Ficha técnica
Editorial:
EDITORA APPRIS
ISBN:
9788547317171
Idioma:
PORTUGUÉS
Formato:
EPUB
DRM:
Si
Tagus

4,49 €

Por que repensar a Educação Ambiental (EA) na escola? Devido à urgência do enfrentamento dos desafios socioambientais, há uma grande demanda a respeito da Educação Ambiental no ensino formal. Do ponto de vista pedagógico, a EA deve ir além da neutralidade e da transmissão, que, em vez de comunicar-se, faz "comunicados". Nesse sentido, o livro Ensinar o quê? Para quem? Como usei os temas geradores de Paulo Freire para promover a educação ambiental na escola revela uma rica trajetória pedagógica de reconstrução curricular no ensino fundamental e discute questões sobre a formação do sujeito ecológico e a Educação Ambiental Crítica; Educação para a paz; currículo e sua relação com a práxis; relação entre a violência e a Educação Ambiental, entre outras. Nesta obra, os leitores encontrarão elementos que contribuirão para articular uma prática pedagógica reflexiva com a realidade dos seus sujeitos. Compartilhando uma experiência enriquecedora para os educadores, a autora relata neste livro como, a partir da pedagogia freiriana, foi possível despertar o interesse de estudantes antes alheios ao conteúdo abordado. Ao incluir questões do cotidiano deles, os educandos passaram a ver significado nos temas tratados e se perceberam sujeitos participativos da reflexão, e não meros receptores passivos, desenvolvendo, assim, sua opinião crítica. Este é um trabalho aplicado, que traz novo fôlego e permite novos rumos para a educação no Brasil. "O maior desafio dos educadores encontra-se em proporcionar aos educandos um ambiente de resgate do ser que fora roubado; dar direito à voz àqueles que um dia se tornaram mudos diante do massacre social; esvaziar-se da frieza e compreender o outro como um ser humano."