Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios. Si continúa navegando, consideramos que acepta su uso. Puede obtener más información en nuestra política de cookies

NÃO ME CHAMEM BOM PAI

NÃO ME CHAMEM BOM PAI
Ficha técnica
Editorial:
PLANETA MANUSCRITO
ISBN:
9789897771545
Idioma:
PORTUGUÉS
Formato:
EPUB
DRM:
Si
Tagus

10,99 €
Comprar

Desde que sejamos pais ou filhos, todos teremos pontos de identificação e de reflexão ao ler este livro corajoso, invulgar e irreverente.

Da sua experiência como pai de quatro filhos, Nuno Graciano parte para uma análise ? e crítica ? no que toca à paternidade em geral, com afirmações, pouco usuais entre as figuras públicas portuguesas.

«Quem nos diz como proteger os nossos filhos dos males do mundo? Quem nos ensina a fazer deles adultos responsáveis? Onde está escrito que eles devem amar-nos e respeitar-nos até que a morte nos separe? O mais importante da paternidade não se aprende nem se ensina: nasce connosco.»

Destas ideias, e da sua experiência como pai de quatro filhos, Nuno Graciano parte para uma análise ? e crítica ? no que toca à paternidade em geral, com afirmações, pouco usuais entre as figuras públicas portuguesas. «Ser pai é ser e estar presente, ponto final. Essa deve ser a regra, não a excepção. Caso contrário, falamos de progenitores.»

Nuno Graciano não mede as palavras. Nem quando fala em programas televisivos de grande audiência, nem quando as escreve neste inspirador livro. Invulgarmente honesto e frontal, eis um autêntico manifesto pró-paternidade ? activa, próxima, dedicada. 

«Esqueçam a ideia de amor para a vida toda. Pelo menos no que diz respeito ao amor entre homens e mulheres ? ou entre casais do mesmo sexo, tanto faz. O ser humano é um animal naturalmente poligâmico e, como tal, só consegue ser monogâmico com uma dose brutal de espírito de sacrifício. A utopia da monogamia, imposta cultural e socialmente, só serve para criar uma pressão enorme nas relações.»

 

Pai de quatro filhos, voz muito crítica dos estilos mais alheados e irresponsáveis de parentalidade, Nuno Graciano, fala de si, dos filhos, e também dos pais e avós. Da própria infância à forma como educa Gonçalo, Tomás, Matilde e Maria ? com regras e pontos em que se assume intransigente, mas sempre com carinho e honestidade ?, o apresentador de televisão e empresário abre-se num testemunho íntimo e emotivo, sem fugir à controvérsia.

Ao longo do livro o autor faz comparações e analogias com a paternidade no reino animal. Esses textos são destacados em caixas.

Prefácio de Carolina Ortigão Pinto